segunda-feira, outubro 06, 2014

Folhas caídas


(foto da net)

É uma luta inglória a que travo, diariamente, com as folhas que caem no meu jardinzito!
Eu varro e daí a nada o chão está de novo colorido de pinceladas que vão do castanho dourado ao escarlate.
Se tivesse alma de poeta e alguma criatividade, em vez da vassoura, pegava numa folha e numa caneta e escrevia um poema às folhas caídas...
Assim, como sou uma prosaica, limito-me a continuar a varrer! 

37 comentários:

Jardineiro do Rei disse...

Ora, minha Amiga... é a nossa Mãe-Natureza a cumprir o seu papel de renovação.
É o tempo a andar para a frente e nós querermos puxá-lo para trás.

Beijinhos

João

Observador disse...

Há folhas que não merecem ser varridas.
Começar a semana em formato filosófico não fica mal pois não?

Abraço

Silenciosamente ouvindo... disse...

Muito bonito este pequeno texto.
Bj.
Irene Alves

ematejoca disse...

Quando chegar a Duesseldorf também tenho de limpar as folhas caídas no meu pequeno jardim, entretanto, na cidade invicta, leio as poesias líricas de Almeida Garrett, na última e a mais importante obra do autor.

Saudações da minha cidade.

O Puma disse...

Só falta uma lufada de vento

para as levantar do chão

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Tarefas de Outono. Felizmente, na Primavera, voltam a ser fonte de alegria.

Mira disse...

Rosinha, fizeste-me rir, tens sim
alma de poeta e sensibilidade para
perceberes que o chão do teu jardim
fica lindo de pinceladas, isso é o quê?
alma de poeta, beijo amiga

Carpe diem to me disse...

Percebo-te! Por 20 folhas que se apanhem, lá caem mais umas quantas! É quase inglório, mas é a Natureza!
Beijinhos

Janita disse...

Varre, varre, vassourinha
Varre, varre, vassourão
As folhas caídas no
Jardinzito da Rosinha
Fizeram do seu texto
Um belo poemão!!:))

Rosinha, sabes que o melhor adubo para as árvores são as suas próprias folhas?
Quando vierem as chuvas de Inverno elas apodrecem, fermentam e na Primavera, ao rebentos serão mais fortes e os frutos mais doces!

Abraço e deixa que a Mãe-Natureza se encarregue de tudo.

Desculpa, mas deu-me para isto...como se tu não soubesses tudo o que escrevi! :)

Graça Sampaio disse...

«Folha revolta
Que anda no chão,
Lágrima solta
Do coração;
Corpo sem vida,
Haste sem flor,
Folha caída
Do meu amor!»

João de Deus

Marizei disse...

creio que o poema existe na folha que caiu . cada uma é um poema e no jardim e na mulher que varre se lê a poesia . parece que se a poesia existiu foi nesse momento em que se encontraram :))

Rogerio G. V. Pereira disse...

Deixa lá, se isto te acalma
sempre é bom te dizer
que há poetas sem alma
que nem sabem... varrer

Rui Pascoal disse...

E que bem que ela "varre".
Haja quem as apanhe...
Antes que o vento as espalhe.
:)

redonda disse...

Bem, este texto fez-me sorrir, lembrei-me que gosto das flores e que ainda não tinha pensado que pode ser preciso varrê-las :)
um beijinho
Gábi

Flor de Jasmim disse...

Existem folhas que não se devem varrer :))
Eu tenho Um "folha seca" cá mesmo dentro de casa!

As folhas secas são muito boas para adubar terra para plantas, ou mesmo para árvores.

Boa semana Rosa, mesmo que seja a varrer.

Beijinho e uma flor

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Penso que poderá continuar a varre-las todas para deixar o jardim mais bonito.
Eu faria um buraco grande onde as colocaria todas para alimentarem, depois decompostas, as próprias mães.

Pedro Coimbra disse...

Se vivesse em Macau não teria esse problema.
Porque não teria jardim.
É um luxo a que muito poucos se pode dar.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, a natureza como perfeita que é, sabe o que faz, oferece para embelezar a nossa alma, maravilhosas cores.
a natureza renova-se,"será que ao varrer as folhas não está a contribuir para a renovação?" penso que sim.
AG
http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

Majo disse...

~
~ ~ Varrendo folhas caídas de Outono e pensando no atrapalhado romantismo de Almeida Garrett...

~ ~ ~"E infame sou, porque te quero; e tanto
~ ~ ~ Que de mim tenho espanto.
~ ~ ~ De ti medo e terror...
~ ~ ~ Mas amar!... não te amo, não."

~ ~ De "Amor" (patético) ~ Folhas Caídas ~ AG.

~ ~ Tenho a certeza que escreverias uma belíssima prosa poética, se a pretendesses.

~ ~ ~ ~ Grande abraço. ~ ~ ~ ~

São disse...

E quem te disse que este teu texto não possui poesia??


A foto está bonita...


Beijinhos :)

luisa disse...

Podem não dar poema mas que dão uma bela foto, lá isso dão. :)

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Agradeço a visita a Lidacoelho.
Continuo com o mesmo espaço e também o mesmo número de publicações.
O computador é novo e não tem virus.
Se existem outros motivos desconheço.

Catarina disse...

Gosto do ruído das folhas secas quando as piso. Gosto de as colecionar no outono. Depois descarto-as...

Rosa dos Ventos disse...

A foto não é minha, como podem verificar!
Gostei dos comentários...alguns estão mesmo poéticos! :)

Abraço

ematejoca disse...

Corri ao teu blogue, Rosa dos Ventos, para me encontrar com o Baptista Bastos, mas não o encontrei.

Também o afastaste daqui?
Penso que não!

Volto mais tarde, agora vou dar uma volta, antes que comece a chover.

Observador disse...

Por que motivo o mais recente 'post' não aparece?

Rosa dos Ventos disse...

Houve um problema técnico com o link que não consegui resolver, foi essa a razão, Observador e Teresa que agora está no Porto! :)

Abraço

Janita disse...

Também vinha atrás do Baptista Bastos! Não o encontrando, peço-te permissão para transcrever algumas palavras suas, onde se misturam algum desencanto com a determinação que sempre o caracterizou:


"...Fui posto fora, mas não das palavras. Vou com elas, velhas amantes, para aonde haja um jornal que as queira e admita a indignação e a cólera como elementos de afecto, e sinais de esperança, de coragem e de tenacidade."

É assim que se fala!

Beijinhos e obrigada, Rosa dos Ventos!

Teté disse...

Prosaica ou não, por mim deixava pelo chão essas fohas caídas, que até fazem um lindo tapete... :)

Abraço

Dalma disse...

Bom, também luto com isso, mas a maior parte das vezes ganham elas!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Não consigo encontrar o seu post sobre o meu amigo BB!

Graça Sampaio disse...

Bem queria comentar o teu texto sobre o Baptista-Bastos, mas não o encontro... Será que a censura já chegou aqui?!...

Rosa dos Ventos disse...

Gracinha e Carlos Barbosa

Como já disse tive um problema com o link e a minha preguiça não me deixou refazer o "post"! :)

Abraço

Pedro Coimbra disse...

Ia para comentar que não via a primeira página.
Já percebi porquê.
BFDS

Pedro Coimbra disse...

Ia para comentar que não via a primeira página.
Já percebi porquê.
BFDS

Justine disse...

Deixa-as ficar no chão, como eu faço, até vir um destes aguaceiros violentos, que as varrerá por ti!

DE-PROPOSITO disse...

As folhas são como nós. Com o aproximar do INVERNO vão caindo a pouco e pouco. E (algo semelhante a nós) não mais se levantam.

Felicidades
MANUEL