quinta-feira, maio 10, 2012

Feira do Livro e a mulher-bomba...

(imagem da net)

Exames de rotina no HSM levam-me a passar por mulher-bomba, pelo menos duas vezes por ano.
Além dos muitos fios colados no peito, ainda tenho que carregar durante 24 horas com  duas maquinetas que fazem as devidas leituras cardíacas e, apesar de todos os meus esforços, os ditos aparelhos acabam por se notar ou mesmo ver pendurados à cintura.
Mas não foi por causa disso que perdi a última oportunidade de ir à Feira do Livro e de comprar dois livros, mais sobrecarregar-me-iam em dois sentidos...
Um deles encontra-se aqui nesta imagem, "O Teu Rosto Será O Último" de João Ricardo Pedro, o outro foi "Os Malaquias" da brasileira Andréa del Fuego, respectivamente Prémio Leya  2011 e Prémio Literário José Saramago 2011.
Se me deixei influenciar por terem recebido estes prémios? Talvez...mas também gostei das críticas que li deles.
Apesar de levar a máquina fotográfica ela falhou-me à última da hora, assim fiquei-me por uma imagem da net. 
Neste momento estou a ler "Quando Os Lobos Uivam" de Aquilino Ribeiro. Já estava saudosa da sua saborosa,  rica e plástica prosa.
Não me admira que tivesse sido proibida a sua publicação em Portugal e que a primeira edição fosse brasileira.
Atentem neste pequeno extracto retirado da fala de uma das personagens:
" - A nação é de todos. A nação tem de ser igual para todos. Se não é igual para todos, é que os dirigentes, que se chamam Estado, se tornaram quadrilha. Se não presta ouvido ao que eu penso e não me deixa pensar como quero, se não deixa liberdade aos meus actos, desde que não prejudiquem o vizinho, tornou-se cárcere. Não, os serranos, mil, cinco mil, dez mil, têm tanto direito a ser respeitados como os restantes senhores da comunidade."
Isto escrito em 1958!

27 comentários:

trepadeira disse...

É sempre delicioso voltar a Aquilino.

Que tudo esteja a correr bem.

Um abraço,
mário

Flor de Jasmim disse...

Rosa
Também gostei de ler Aquilino Ribeiro.
Quanto ao aparelho também eu já fiz várias vezes esse exame.

Vai correr tudo bem, vais ver.

Beijinho e uma flor

Teresa disse...

Pois, isso eram palavras muito subversivas, naquela altura! Acreditas que ainda não consegui ir à Feira do Livro? Tenho tido uma vida tão corrida!
Bjs

Maria Alice Cerqueira disse...

Querida amiga
Meu Abraço de Paz e bem!

Mãe do céu da terra e do mar
Por favor,
Ensina-nos o teu segredo
Do Teu Amor
Para que não tenhamos medo
De apreender Amar!
Meu abraço carinhoso para você!

Se você for mãe Feliz dia das Mães!

Maria Alice

Graça Sampaio disse...

Ainda hoje "a nação não é igual para todos"...

Que estafa ir à Feira do Livro de Lisboa - que registarão as malinhas dos batimentos do coração?!...

Boas leituras.

Rui Pascoal disse...

Aquilino era o escritor preferido do meu pai. Lembro-me, ainda miúdo, de ele me ler "O Romance da Raposa". Haverá ainda hoje pais a ler para os filhos, ou já só restam consolas?

maria mar disse...

Aquilino continua intemporal.
Votos de boas notícias, e um beijinho daqui, junto ao mar.

Isa GT disse...

1958 ou 2012 prova que este País continua sempre igual... as quadrilhas já se instalaram desde o tempo em que uns viviam dentro das cavernas e outros ao relento ;)

Bjos

São disse...

Li o livro h+a muito, muito tempo.


Foi por ter dito verdades assim luminosas que teve sérios problemas!

Bons sonhos e que os exames tenham excelentes resultados: também já pareci uma árvore de Natl , cheia de fios durante 24 horas,,,

Catarina disse...

Que bom teres tido essa oportunidade. Não te estava a imaginar perder a Feira do Livro!
Boas leituras.

Pitanga Doce disse...

Beleza de extrato! Se soubesses como se aplica à terra onde foi publicado?! Isto aqui virou uma autêntica quadrilha no (des)governo.

Turista disse...

Querida Rosa, imagino a pedrada no charco, que terá sido na altura, esta obra. Ainda assim, mantem-se actual e não concretizada, verdade?
Beijinhos, mulher-bomba!

Anónimo disse...

Com que então a leres o mesmo livro que eu...
Olha lá não te espalhes em comentários.não vá o diabo ressuscitar as pides e lá terei que visitar-te à prisão.Isto são terrores ressuscitados.Kinkas

Luis Eme disse...

o Aquilino é uma delicia, Rosa.

é outra linguagem.

abraço

maria disse...

Espero que tenhas boas leituras, as da maquineta e as dos livros :)

"O teu rosto será o último" quero comprar..."Os Malaquias" já li e não gostei, a história é boa, mas está muito mal contada...mas talvez o problema seja meu...

( )jinho e tudo de bom :)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

"Quando os Lobos Uivam" é um livro fabuloso, embora não seja de leitura fácil...
O livro do João - que espero comprar na segunda feira nos descontos especiais da Bertrand- fica à espera que eu termine o segundo volume do IQ 84,uma triologia que me está a empolgar imenso.
Bom fds

Lídia Borges disse...

Parece que os portugueses são sempre os mesmos. As épocas mudam, mas as mentalidades, não. Daí, a actualidade destes textos.


Muito interessante!

Associação de Artistas e Artesãos Oureenses disse...

Hiii! Há tanto tempo que não leio nada de Aquilino! Mas gosto! Pois é, a Pátria continua a não ser igual para todos!
Fiz uma vez um exame parecido com esses. Muito "chato"!

Boas notícias e bom fim de semana!

tulipa disse...

Desejo um agradável fim de semana.

BELAS ESCOLHAS!
Boa leitura.
Quanto ao aparelho também eu já fiz 2 vezes esse exame, mas...não fui carregada de fios para a Feira do Livro!
Admiro-te MULHER CORAGEM.
Vai correr tudo bem, vais ver.

Continuo os posts sobre a minha viagem
quando quiseres acompanhar já sabes que terei muito gosto em ver-te pelos MOMENTOS PERFEITOS.

Felizmente o Amigo António Cambeta vai-me dando algumas dicas, bem importantes.
...
Pois, eu sozinha em Bangkok
sem ter quem me orientasse
...
Para quem nada conhece,
como é o meu caso,
não me perdi
e sozinha lá fui explorando
o que havia por perto
na rua do Hotel.
...
O Amigo Cambeta explica que é
a Deusa da Misericórdía.
...
Não tinha quem me explicasse
e agora para fazer os posts
no blog, nas pesquisas que faço
só encontro artigos escritos em inglês,
por isso transcrevo-os para o blog, mesmo em inglês.
Percebi que essa fundação está ligada a um Hospital.

Deu para perceber que os chineses são muito unidos e prestam imensa ajuda à sua comunidade e não só.

Abraço amigo da Tulipa

quem és, que fazes aqui? disse...

"Quando os lobos uivam" e tantos outros de Aquilino têm passagens que, lidas com os olhos de hoje, nos mostram coo permanecemos iguais ao que fomos e sem grande empenho em mudar.

Eu também o não faço ou se o faço é apenas uma mudança aparente.


Começo hoje um continuar de estar e, por isso, não tem linhas demarcantes este meu novo blogue.
Talvez olhe, muitos dias, para a velha acácia rubra do ontem e para as suas flores e sinta a saudade do céu azul, rendilhado de tons vermelhos, e do sussurro distante do mar, do meu...
Estou aqui, assim... em http://quem-es-que-fazes-aqui.blogspot.pt/ mais uma vez.

Beijo

Laura

redonda disse...

Boa sorte para o resultado do exame. Vou tentar encontrar o "Quando os Lobos uivam" na FL do Porto :)
um beijinho e bom fim de semana
Gábi

mlu disse...

Oooh! O comentário que saíu em Associação de Artistas e Artesãos Oureenses é meu, mas como o PC estava muito lento, publiquei antes de ele encerrar outra publicação...e deu nisto!
Desculpas a ambos!

Bom fim de semana!

Rosa dos Ventos disse...

Eu percebi que era, MLU! :-))

Duarte disse...

Aqui também foi a feira do livro, mas este ano não comprei nada. Sinceramente não havia nada atractivo. Fiquei com tão bom sabor com aquilo que me orientaste...
Aquilino um dos grandes! Uma boa eleição.
Que grande verdade, estamos vendidos se não reagimos...
Abraços

Nina disse...

Sorri, com a tua observação!
Olha lá, Rosinha, não assustaste por lá ninguém, pois não?:))
Fica um beijinho (hoje, nada de xis, para não te deixar bichinhos:))

Cont(R)a Corrente disse...

Todos nós, ao menos uma vez na vida, já sofremos com as agruras do coração. Alguns, no entanto, encaram essa maleita como uma enfermidade perpétua. O pior, nos dois casos, são as recidivas e os casos fulminantes. Pior que ter o coração na boca é tê-lo na cabeça no lugar dos miolos!

Rosa, não ligues que estas palavras não são do meu Eu, mas antes do heterónimo borderline que me parasita :)))

Vais viver até aos 107 anos! Está no Borda d'Água!

goiaba disse...

Também andei de "mulher-bomba" ... felizmente foi só fumaça - espero que consigo acontea o mesmo.
Li o "Malaquias" e gostava de falar com quem o lesse. tenho andado a pensar nele e ainda não sei se percebi tudo - a escrita é muito interessante.
Abraço