sexta-feira, novembro 25, 2011

Novembro

Novembro vai-se esvaindo pardacento e triste com uns fogachos de azul e luz!
De hoje a um mês é dia de Natal e a época que já se iniciou nas lojas, centros comerciais e na carteira pouco recheada da maioria dos portugueses, dá-me vontade de hibernar e de acordar só depois dos Reis!
A ditadura do calendário com as pessoas  felizes, à força ou não, de estrelinhas nos olhos e guizos a tinlintar metaforicamente nas orelhas provoca-me um certo mal estar...
Desculpai lá a minha fraca apetência para estas natalices, sei que a maioria dos meus visitantes não sente o mesmo e ainda bem!
Em todo o caso vou fazer um esforço para não destoar muito no ambiente familiar.
No fundo, cada um desempenha o seu papel!

29 comentários:

Rui da Bica disse...

Ao começar a ler nem acreditei ! Tive que ir confirmar que já eram 25 ! :((
Não sei se é da idade, mas o tempo está veloz como nunca ! :))
Quanto ao Natal, eu ainda vou aguentando a chegada, mas para a minha mulher é uma "doença" ! A preocupação das compras, da Ceia e do Almoço de Natal, não lhe dão descanso e só "vai aguentando" à base de "drogas" ! :)))
.

João da Nova disse...

“Ainda sou do tempo” em que o natal era algo destinado á família e não tão só um evento comercial, um ritual que sou obrigado a cumprir pela mesma.
Eventualmente, os efeitos da crise serão tão só visualizados no natal de 2012… já que este ainda está meio encoberto, mesmo se já se sente uma profunda quebra no poder de compra.
Tempos difíceis tendem a unir ou quebrar, quem sabe se a reunião familiar não volta a ser novamente um “sentimento” em detrimento de que se transformou.

Rui Pascoal disse...

O Natal ainda vem tão longe e eu "já" só tenho metade do subsídio para gastar...
Palhaços!
:)

Rogério Pereira disse...

Sem destoar da família
destoará da maioria

Não tenho dúvidas que será um Natal triste em que só (algumas) crianças terão as tais estrelinhas no olhar...

São disse...

Rosinha, se eu descobrir como se hiberna de 1/12/ a 6/1 juro que lhe digo, mas fico esperando que se descobrir antes, me informe!

Um bom fim de semana.

redonda disse...

Apesar de tudo, parece-me que ainda seria pior se não tivessemos o Natal. E se der para pensarmos um bocadinho mais nos outros e fazermos algo por alguém, familiar, amigo, conhecido ou desconhecido, será Natal.
um beijinho
Gábi

Observador disse...

Bem escrito.

Bom fim de semana.

Turista disse...

Querida Rosa, eu estou ao contrário de ti, toda empolgada! Já fiz as minhas comprinhas de Natal e na próxima semana, já começo a distribuir as que vão para longe... aliás a que era para Angola, já foi!
Faz lá um esforço, sim?
Bom fim de semana. ;)

Dalma disse...

Só em criança apreciei os natais! A sorte dos meus filhos foi que o Natal foi sempre passado em casa dos avós. Nesta época sempre me senti deprimida e tão somente por pensar : quem já é feliz, no Natal é mais feliz, quem é infeliz, nesta época a sua infelicidade acentua-se.
Por isso não está sozinha nesse sentir!

Anónimo disse...

Detesto o Novembro , deixei de apreciar o Natal , tenho pavor de apanhar frio ( vivo em Bragança ) , é melhor hibernar...Como vê , não está só.Um abraço. M.A.A.

Flor de Jasmim disse...

Rosa
Não gosto nem um pouco desta época, para mim é a pior de todoo ano,o Natal para mim será todos os dias com amor e carinho, sem hipocresias e consumismo por vezes além das possibilidades de quem consome. Se conseguisse invernar eu faria-o.
Beijinho

maria disse...

Natal, uma época que me deixa numa mistura de alegria e nostalgia...

Ainda não fiz compras e nem enfeitei a casa, mas espero fazê-lo dia 1 de dezembro como todos os anos :)

( )jinho :)

Silenciosamente ouvindo... disse...

A minha mãe faleceu numa noite de
Natal a partir daí esta data passou
a ser diferente para mim e sinceramente este ano estou como
você.

Beijinho
Irene

Pitanga Doce disse...

Sim. Por vezes é desempenhar o papel e mais nada. Como eu, este ano.

Beijos, Rosa.

Nina disse...

Pertenço aos teus visitantes que adoram a época.:)
Para mim, com ou sem prendas (há 3 anos impus em casa que só as crianças tivessem presentes) é pura magia.:)
Um xi coração

trepadeira disse...

Assicio a natalidade à Primavera.
Festas?quando nos apetece.

Consumismo?não há,sempre que há tantação há também lembrança de quem não pode.

Um abraço,
mário

mlu disse...

Eu já ficava contente se pudesse hibernar até 27/12!
Gosto deste mês, o meu filho nasceu em Novembro!

Bom fim de semana.

Catarina disse...

Tinha um comentário looooongo para enviar. Apaguei-o. Quero hibernar ou não hibernal, afinal? Tenho que decidir. Existem condicionalismos quer de uma forma quer de outra! Ainda tenho uns dias para decidir! : ) Poder-se-á “hibernar” numa praia das Caraíbas?

Anónimo disse...

Querida Rosa
Há muitos anos 20? 30? nem eu sei já quantos (lembrei-me agora do poema que eu recitava de queixo tremente aos 15 anos,perante a família de lágrima no olho)que o Natal me traz exactamente vontade de hibernar e não ser obrigada a sorrir,fazer a festa enquanto me pergunto quantos adultos da reunião não estarão passando pelo mesmo que eu.Kinkas/bicho de conta

rouxinol de Bernardim disse...

Excelente, como habitual...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Partilho do seu sentimento em relação ao Natal, Rosa. O consumismo tirou-lhe a essência que o fazia uma época ímpar. E depois, ainda há as memórias daqueles que partiram e me deixam com um sentimento de vazio,difícil de preencher.
Bom fds

Anónimo disse...

Olha Rosa... como se finge, como se vê fingir.
Crianças, brincar, olhos alumbrados...isso sim! compras espatafúrdias e sem o nosso magro dinheiro que está entregue aos doutores da troika... dispenso, há muito! Gostava que fizessem um concurso: "a melhor ceia e decoração de natal dos nossos governantes e confederados da cip". Aí sim se veriam as diferenças!
Abç da bettips

Duarte disse...

Lamento ter que o dizer
mas o NATAL, para mim,
acabou à muito.
Nada daquilo que hoje vejo
representa o Natal que vivi.
Esta euforia desmedida é,
em linhas gerais, falsa,
com uma imensa capa de hipocrisia.
Está tudo oco, podre.
Claro que existem excepções!
Estou longe desse modelo.
Seria perfídia!...
O que não quero fazer
é vestir-me com o fato de hipócrita,
não sirvo para isso,
não me fica bem.
O que sim desejo
é que passe depressa...

Um grande abraço

Paula disse...

Agora em Novembro, já comecei a ver pais natais endurados nas varandas...
Isso para mim, não é o espírito do Natal.
:)

Justine disse...

Sinto exactamente o mesmo que tu, Rosa! Todo este furor consumista me irrita e entritece. E sempre que posso fujo, vou para uma ilha deserta ou quase. Se não posso, finjo que não é nada comigo, assobio e quando dou por mim estou em meados de Janeiro:))))

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Rosinhamiga

Poizé, os comerciantes bem se queixam que vão diminuir as compras, que são uns desgraçados e coisa & tal. Mas, muitos deles devem ter votado no Coelho. Estarão arrependidos dos passos que deram, ou do Passos que escolheram?

Entretanto quero informar-te que Hjtksdt ywsqjhr mjvnzxc (*)

(*) Na nossa Travessa há extraterrestres

Qjs

Bartolomeu disse...

Fazes bem, Rosinha, deixa-te contagiar pelo espírito familiar natalício, e se alguém te chatear porcausa do barulho que as renas fazem quando estão a ruminar, diz-lhes que ainda não ganhaste para um abiõe a jacto!
;))))

Rafeiro Perfumado disse...

É uma oportunidade para ter a família reunida, pois quanto à vertente religiosa estou-me a borrifar. Mas é sempre bom para repor o stock de meias e cuecas...

Tite disse...

Querida amiga,

Já percebi há muito que não tens o mesmo apetite natalício que eu e compreendo-te.
Por cá, confesso que as decorações estão feitas uma vez que o Natal não será cá passado. Ontem, porém tive cá os pequenitos e eles já ficaram felizes por ver que o Natal chegou mais cedo à casa da Avó.
Para o ano espero que o teu neto te motive e faças algo diferente do que tens feito até aqui.
Não é preciso muito dinheiro já que não o vamos ter. É só necessário reunir os que amamos e estão mais à mão de semear. O resto é espírito e chamamos junto de nós todos os que desejarmos.

Beijosssss