quarta-feira, novembro 30, 2011

Efeméride

Passa hoje mais um aniversário da morte de Fernando Pessoa ocorrida a 30 de Novembro de 
de 1935.
Normalmente assinalo este aniversário com poesia mas hoje decidi optar pela prosa do "Livro do Desassossego" de Bernardo Soares, um semi-heterónimo de Pessoa uma vez que ele próprio o afirma na seguinte frase:
"...não sendo a personalidade a minha, é, não diferente da minha, mas uma simples mutilação dela. Sou eu menos o raciocínio e a afectividade."
E fiz esta opção precisamente por dominar mal esta "pessoa" de Pessoa, em relação aos três heterónimos mais conhecidos.


O cansaço de todas as ilusões e de tudo que há nas ilusões - a perda delas, a inutilidade de as ter, o antecansaço de ter que as ter para perdê-las, a mágoa de as ter tido, a vergonha intelectual de as ter tido sabendo que teriam tal fim.
A consciência da inconsciência da vida é o mais antigo imposto à inteligência. Há inteligências inconscientes - brilhos do espírito, correntes do entendimento, mistérios e filosofias - que têm o mesmo automatismo que os reflexos corpóreos, que a gestão que o fígado e os rins fazem de suas secreções.
Bernardo Soares
Nota:Peço desculpa pelas aspas que surgem onde não deviam surgir. Ocorreu um erro na colagem que não consegui corrigir.

16 comentários:

João da Nova disse...

Um jogo de palavras absolutamente brilhante e pleno de conteúdo.

Nina disse...

E não mais tivemos outro assim!
Aquele abraço

Observador disse...

Bela homenagem.

Justine disse...

Que pessimismo desgraçado, o deste Bernardo Soares!Não o conheço muito bem, mas não sei se terei pachorra para o conhecer melhor:)))))
(e as aspas até dão mistério ao texto...)
Beijo

trepadeira disse...

Ilusões posso ir perdendo,algumas foram mesmo sempre para perder,a força e vontade de lutar,essas,não perco.

Um abraço,
mário

Rogério Pereira disse...

"A consciência da inconsciência da vida é o mais antigo imposto à inteligência. "

Que falta me faz um homem destes...

AC disse...

Rosa,
O Livro do Desassossego é leitura para toda a vida.

Beijo :)

Fê-blue bird disse...

Fernando Pessoa é uma referência, o seu talento e os seus ensinamentos quer em prosa ou em verso estão sempre actuais.
O livro do desassossego é para ser lido em sossego :)

beijinhos

Isa GT disse...

Efeméride sempre bem lembrada e gostei do:

pelas aspas que surgem
onde não deviam surgir
um erro na colagem
não consegui corrigir

até na nota conseguiste rimar ;)
(tou a entrar contigo lol)

Bjos

Flor de Jasmim disse...

Rosa
Excelente homenagem!!!
As ilusões trazem desilusões...não há desilusões sem ilusões.
Beijinho

Felipa disse...

Ainda não li este livro todo, apenas umas frases de vez em quando (a filosofia dá-me cabo do cérebro rsrs), mas adoro Fernando Pessoa.
Bj

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Eu ia sublinhar uma frase que me chamou a atenção neste texto de Bernardo Soares, heterónimo que mal conheço, mas o Rogério antecipou-se...

Mery disse...

Disse bem a Fê...Fernando Pessoa* é referência, difícil surgir outro que se assemelhe a ele, esse livro que ainda não li, do "Desassossego está já na minha lista, será um dos que lerei em minhas férias.
Lindo post, pelo fato de lembrar esse grande poeta português, *do Mundo inteiro.
Belo post, amei, te agradeço por partilhar conosco, beijinho.

carol disse...

Para mim, depois de Álvaro de Campos, é mesmo Bernardo Soares - que aliás acho muito parecidos.

Bom feriado.

redonda disse...

Com as aspas ficou mais original o assinalar da efeméride (ainda não li o Livro do Desassossego, mas está na minha lista).
um beijinho e bom feriado
Gábi

Catarina disse...

Fernando Pessoa e Miguel Torga são os escritores mais mencionados nos blogues. Merecedores inconstestáveis de tal menção. Apesar disso, e se não tivesse lido o teu texto, não teria associado este dia a Fernando Pessoa.
Oscar Wilde também faleceu neste dia.
Abraço