segunda-feira, maio 09, 2011

Portugal na Europa

A única obra de Fernando Pessoa publicado em vida foi "Mensagem"!
Pois este é o poema de abertura que o nosso poeta múltiplo escreveu:



Primeiro/ O Dos Castelos

A Europa jaz, posta nos cotovelos:
De Oriente a Ocidente jaz, fitando, 
E toldam-lhe românticos cabelos
Olhos gregos, lembrando.


O cotovelo esquerdo é recuado;
O direito é em ângulo disposto.
Aquele diz Itália onde é pousado;
Este diz Inglaterra onde, afastado,
A mão sustenta, em que se apoia o rosto.


Fita, com olhar esfíngico e fatal, 
O Ocidente, futuro do passado.


O rosto com que fita é Portugal.

Fernando Pessoa, in Mensagem

Nota: uma visão poética de Portugal na Europa.

20 comentários:

Luis Eme disse...

poética, dizes bem, Rosa.

abraço

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Poe´tica, mas também realista...

Rui da Bica disse...

Não sou o que se possa chamar um expert em literatura, mas gosto imenso de Pessoa ! Perante uma obra tão vasta, aprendi agora que "Mensagem" foi a sua única obra editada em vida. Não sabia !
.

carol disse...

Um nacionalista, este Pessoa!
Fossemos todos um pouco como ele e não estaríamos como estamos!

Boa escolha para o Dia da Europa.

Beijinhos

Tite disse...

Pena que os olhos que melhor vêem o nosso país são os dos poetas.

Beijossssss

Alberto David disse...

Para ti Rosa que gostas de Pessoa, cá vai:

Todas as cousas que há neste mundo
Têm uma história,
Excepto estas rãs que coaxam no fundo
Da minha memória.
Qualquer lugar neste mundo tem
Um onde estar,
Salvo este charco de onde me vem
Esse coaxar.

Ergue-se em mim uma lua falsa
Sobre juncais,
E o charco emerge, que o luar realça
Menos e mais.

Onde, em que vida, de que maneira
Fui o que lembro
Por este coaxar das rãs na esteira
Do que deslembro?

Nada. Um silêncio entre jucos dorme.
Coaxam ao fim
De uma alma antiga que tenho enorme
As rãs sem mim.


Fernando Pessoa, 13-8-1933.

Um abraço

Rosa dos Ventos disse...

Devo clarificar o Rui da Bica que foi o único livro em português publicado em vida,é que também foram publicados poemas em inglês...

Justine disse...

Pergunto-me como seria a "Mensagem" escrita hoje, no Dia da União Europeia, que de união tem muito pouco...

Victor disse...

Pois é, quando vi o título e o conteúdo veio-me logo à mente a questão do dia, e esta Europa agora tão discutida e questionada. O problema é que o ser humano só gosta do que vai bem e não tem o costume de refletir quando as coisas não vão bem. Estamos todos na ressaca dos anos dourados da UE, mas isso não quer dizer, na minha humilde opinião, que o projeto esteja falido. Há que adaptá-lo aos tempos que correm. É como tudo na vida, é como fazer aniversários.

Beijinhos senhora dos ventos, sempre muito oportunos seus posts. E bonitos.

Victor disse...

ooopssss... to com a identidade errada. Sou a Lóri!

Há.dias.assim disse...

Tão actual!

Dalma disse...

RV, este poema é muito geográfico e aqui há muitos anos li-o perante um mapa da Europa aos meus alunos de 12ºano! Este poema é extraordináriamente interessante feito por alguém que sabia profundamente observar!

mlu disse...

É a visão do poeta num poema fantástico que eu não conhecia!

Boa semana

Nina disse...

Intemporal!
bji

Isa GT disse...

Basta recuar no tempo para ver que somos o quintalinho de sempre.
Portugal estar na Europa ou noutro Continente qualquer... tanto faz como fez...
Para pararem com as fitas... talvez congelá-lo no Polo Norte... mas mesmo assim, seria por pouco tempo... está a derreter ;)

Bjos

oops!!! disse...

(É. Ele gostava de pôr álcool em feridas...)

;)

Elisabete Lira disse...

Seu blog é muito interessante...
Estou te seguindo.... Tenha um Lindo Dia!
Siga meus Blogs: http://cartasdeumcoracao.blogspot.com/
E http://deusemminhaalma.blogspot.com/

Rosa dos Ventos disse...

Peço desculpa, Lóri mas não consigo situar o teu blog porque, além de te ter perdido de vista, usaste uma identidade através da qual não consigo encontrar-te.
Mas sei que nos conhecemos desde que iniciei esta aventura...sem rumo!

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Caros Amigos
Já ninguém "poetiza" a Europa! :-((
É só prosa e trágica!


Abraço

bettips disse...

Lindíssima a imagem que já conhecia - a cara agreste virada ao Atlântico. Há poetas que olham e vêem a poesia, mesmo que trágica!
Um beijinho