quinta-feira, outubro 09, 2008

Como já disse...

Como já disse fui às pinhas um dia destes com alguns elementos da minha "belle-famille".
Aqui está o cesto delas que ficou em casa da avó Rosa, à espera do Inverno.
E será sempre a casa da avó Rosa, a avó dos meus filhos...

24 comentários:

Rosa disse...

Ainda bem que me lembraste. Tenho de ir às pinhas antes que chova, pois nem sei de outra forma para acender o meu fogão de sala que não seja com as acendalhas e com as pinhas. Depois dos toros estarem bem acesos - sobro ou azinho, de preferência - é que começo a curtir as doçuras do quentinho e divirto-me a olhar a dança das chamas, enquanto escuto o crepitar da lenha. Confortos de Inverno...
Um abraço,
Rosa

Justine disse...

Só de olhar o cesto cheio de pinhas dá cá um conforto...e é tão bonito!
Era assim também que eu acendia a lareira, antes de ter a "modernice" do aquecimento central:))

Rosa dos Ventos disse...

Aquecimento central nessa casa, Justine?!
É crime de lesa majestade! :-))

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Conforto de Inverno e uma belíssima e reconfortante companhia, Rosa!

Abraço

Anónimo disse...

Não tão bonito como as pinhas..mas os pacotes do leite são óptimas acendalhas.
GB

Maria P. disse...

Em casa da minha avó Rosa, o cestos eram mais escuros (talvez pelo uso junto à lareira) e sempre com lenha grossa, troncos, que aqueciam as conversas nos serões alentejanos...
Saudades.

Beijinho*

Maria disse...

E o cheiro a pinhas dentro de casa é tão gostoso...

Um abraço

Átila disse...

Parecem-me poucas , mas aqui o inverno é bem mais rigoroso . Eu já cá tenho umas seis sacas bem cheias , que pessoas amigas me trouxeram. Se precisares é só cá vir ...

Perdido disse...

Lá isso é bonita a vila medieval e, como acho que já te disse, o paço foi dos meus antepassados, condes dessa terra.

Quanto às pinhas, gostei muito da cesta. Também apanho pinhas: de pinheiro manso, para lhe roer os pinhões; de bravo, para atear os carvões do churrasco.

Beijo
Rodrigo

Luis Eme disse...

é normal que assim seja, a casa da minha avó continuou dela, mesmo depois das partilhas e da sua partida, Rosa...

abraço

Duarte disse...

Quanto me emocionou este cesto de pinhas! Quando eu ia às pinhas para a lareira da minha avó Arminda, que lindo nome!
Obrigado amiga por teres feito com que se removam belas passagens de outrora ainda vivas.
Um abraço

legivel disse...

... que grande pinha com que fiquei por te saber mais lesta que eu, que nem uma pinha apanhei e... nem prevenido vinha com uma cesta. Ao sábado é assim: deito-me na relva e faço uma sesta.


abraço.

Pitanga Doce disse...

Não vou aqui tecer comentários a andar apanhar pinhas, castanhas, ou "andar aos míscaros". Não senhora. HOJE não!

beijinhos na madrugada

Anónimo disse...

Tens a arte de acordar boas lembranças.Há anos que nós não vamos às pinhas na mata de S. Pedro com os maluquitos dos dois cãezitos...Agora,as dobradiças não deixam e os cães já abalaram...Agora,acendalhas!
O meu correio voltou a engasgar,nem como resposta funciona.Beijos Kincas quase "rechapada",mas ainda com oficina em curso.

dona tela disse...

Que coisa tão bonita. Mas como é que eu vou pôr uma lareira no T-1? E onde é que eu ia às pinhas?

Muito boa tarde para a Senhora.

NOBITA disse...

Também vou às pinhas para acender a lareira no Inverno. Apanho sempre uma grande quantidade delas, pois ponho os toros grossos e para acender ponho 2 ou 3 pinhas e já está, é mais barato que as acendalhas e mais natural.
Beijos

TINTA PERMANENTE disse...

Sempre lhes achei o dom perfeito de perfumar o aconhego do lar, durante o Inverno...

abraço!

Eyes wide open disse...

:) Vai-me saber bem este primeiro Inverno nesta casa... e com isto me recordei que está na hora de tratar das pinhas e afins para a minha lareira...


:)*

Rosa dos Ventos disse...

Caros amigos
O meu cesto de pinhas acordou algumas recordações, algumas necessidades e recebi em troca alguns conselhos e comportamentos alternativos...
Estamos sempre a aprender!

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Querida Kincas
Não te posso dizer:
- Quem não tem cão, vai às pinhas com gato!
Mas não há como os gatos para aproveitarem totalmente uma lareira, até ao último brasido, ou mesmo cinza morna, não é? :-))
Belas pinhas as de S. Pedro...

Abraço

tulipa disse...

ROSA DOS VENTOS, eu bem quero, mas a vida não me permite.
Passar 1 x por semana nos blogues dos amigos seria o ideal, mas...quem fala em ideais nesta época...há crise de toda a maneira e feitio.
Difícil, muito complicado.

Eu coloco-te uma questão: qual a tua opinião sobre as «praxes»?

Votos de boa semana.
Beijinhos.

Carlota disse...

Rosa,
http://casademanique.blogspot.com/
(ps. ex-Fevereiro!)

PNETliteratura disse...

Malta

Visitem a PNET Literatura

Rui disse...

A mim, deu-me saudades de ir aos pinhões. Gosto para cima de muito, deles frescos.