domingo, outubro 20, 2019

Viajar em grupo

A minha experiência de viajar em grupo era praticamente nula, tirando as visitas de estudo como aluna, como professora e as actuações dentro e fora do país como coralista.





Assim, para testar a minha resistência física , viajei até à Polónia de onde regressei há dias.
Gostei do que vi, acompanhada por excelentes guias locais, conheci um pouco mais da História deste país verde e dourado nesta época do ano, marcado por lutas e dores, em plena reconstrução e onde a Igreja Católica tem uma enorme influência sobre o poder político.
Visitei Varsóvia, Cracóvia, Czestochowa, as milenares minas de sal de Wieliczka, Auschwitz-Birkenau, como não podia deixar de ser.








Claro que, se não fosse em grupo, com uma viagem marcada ao pormenor, não teria visto tanta coisa e obtido tanta informação em tão pouco tempo mas, e há sempre um mas, o que andei a pé deixou-me deveras exausta e sem grande vontade de repetir a experiência, embora o grupo fosse pequeno, simpático e com algumas pessoas conhecidas.
Se não o fiz em mais jovem, por manifesta aversão do meu companheiro de vida por viagens em grupo, agora, com as mazelas que tenho, torna-se mais complicado.
Passear sim, mas ao meu ritmo e sem horas marcadas para tudo.







Por estranho que pareça, no livro que terminei, já depois do regresso, " A Vida em Surdina", o narrador-protagonista relata uma curta estadia na Polónia.
E foi como se estivesse lá de novo, sobretudo em Auschwitz-Birkenau.
É exactamente como ele descreve este horror transformado em local turístico bem lúgrebe.


14 comentários:

Larissa Santos disse...

Maravilhosa publicação :))

Hoje :- Melancolia da lágrima

Bjos
Votos de um óptimo Domingo

ematejoca disse...

NUNCA tive vontade de conhecer a Polónia, nem de viajar em grupo‼

Importante é, que tu tenhas gostado do que viste, embora a situação política não seja a melhor.

Boa noite 🌃

Luis Eme disse...

O teu último parágrafo explica que não pretenda visitar, Auschwitz. Chegam-me os livros e os filmes, Rosa.

Abraço

Flor de Jasmim disse...

Foi uma experiência, que não correu tão bem como merecia, mas não se pode viajar e deixar as mazelas em casa.

Também não me seduz nadinha passear em grupo, com regras e horas marcadas.

Beijinho Leo

Janita disse...

Nunca fiz essa experiência de viajar em grupo, mas creio que se fosse com pessoas conhecidas, e um grupo pequeno, gostaria de o fazer.
O contra é mesmo estar tudo programado e termos de andar a toque-de-caixa...
Jamais visitaria os campos de Auschwitz.
Acho que o meu estômago deitaria cá para fora tudo o que tivesse lá dentro.

Um abraço e boa semana.

Catarina disse...

Também nunca fiz uma viagem em grupo, mas tenho duas amigas que o fazem e gostam. As suas circunstâncias – já não têm companheiro e não têm muitas amigas com a mesma disponibilidade de tempo – levam-nas a fazer parte de grupos. Como viajam muitas vezes durante o ano, já conhecem muitos elementos do grupo. Uma delas queixa-se, de facto, que por vezes é cansativo, mas mesmo assim está a gostar imenso da experiência.
Auschwitz também não gostaria de visitar. Mas sei que esse local faz sempre parte de uma viagem organizada ao país.

Rogério G.V. Pereira disse...

Por vezes sem ir
te lendo
é como se de lá
estivesse agora a vir

Dalma disse...

RV, nós só fizemos uma viagem em grupo, à Turquia, uma vez que aí não era aconselhável ir em autogestão. Exatamente pelo mesmo que diz não gostei ... obrigam-nos a ver o que não desejamos e não nos dão tempo para ver o que gostaríamos!
E é mesmo como diz a Janita, andar a “toque de caixa”!
Enquanto pudermos continuaremos a ir por nós, se não longe, pelo menos perto...

Sam Seaborn disse...

As viagens em grupo permitem melhores preços e "dão" iniciativa a quem não gosta de planear a viagem ou a quem não gosta de viajar sozinho.

Há o contra dos ritmos... e de deixar de comandar o que se vê e quando. Grandes cidades, implica sempre grandes caminhadas e é violento... a um ou a dois, permite ver menos mas usufruir na mesma da viagem sem o sentimento de exaustão.

Abraço e bom início de semana

saudade disse...

Quando o grupo é bom, tudo se torna mais fácil...
Boa semana
Beijo

Justine disse...

O relato a viva voz de ontem ficou completo com as fotografias que acabei de ver! Apetece ir até lá…
Obrigada, minha amiga

O meu pensamento viaja disse...

Concordo. As viagens em grupo têm vantagens e inconvenientes. Esses que citou.
Gostei imenso da Polónia.

A TItica disse...

O meu coração não ia aguentar... Mas viajaria em grupo para outro sitio!!

Duarte disse...

Gostei de ver e de sentir aquilo que expressas.
É uma das viagens que ainda não fiz e apetece-me muito. Este documento teu vai ajudar, a empurrar-me.
Concordo plenamente com a conclusão á que chegaste. Não há nada como viajar ao nosso ritmo.
Um grande abraço