terça-feira, setembro 02, 2014

Aromas de Setembro

Logo que entra Setembro, vêm-me à memória a infância e os aromas que sentia quando entrava no grande celeiro dos meus avós paternos.
Maçãs, pêras, figos, bem enfileiradinhos, descansavam em tabuleiros de madeira que por sua vez estavam colocados em cima das arcas dos cereais,  ao lado das pipas do vinho.
Lá mais para o fim do mês, as uvas de mesa eram penduradas nas traves do tecto.
E havia fruta quase todo o ano.
Há dias, a convite de um primo que herdou a casa juntamente com dois irmãos, entrei no celeiro.
Tornou-se bem mais pequeno, não tinha nem arcas, nem pipas, nem tabuleiros com fruta...
Estava transformado numa espécie de depósito de livros que irá dar origem à vasta biblioteca do meu tio, falecido há dois anos.
Já não cheirava a fruta madura mas também ainda não cheirava a biblioteca.
Jurei não voltar lá!

34 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Setembro cheira-me a vindimas e uvas maduras, a termas e a campo. Eram os pefumes dos Setembros da minha infância.

Rui Espírito Santo disse...

Verdade, Rosa ! Como os nossos "pontos de vista" se alteram !
Aquilo que nos parecia "demasiado modesto e pobre" quando éramos miúdos, comparado com a sumptuosidade e riqueza de outras casas, tem hoje uma visão e lembrança completamente diferente !
Quanto mais valorizamos estas "sensações" e "sentidos" campestres, em detrimento do resto !? ... e muita saudade pelo meio ! ...

Eu assisti, em criança, aos dois "opostos" !:))
... e quanto mais valorizo hoje, as minhas memórias campestres !!! ...

Abraço ... de Setembro, cheio de aromas e frutas !:))

Justine disse...

E assim, com um mau passo (???) se destroem boas recordações de infância! Mas pensa que o celeiro ainda vai cheirar a biblioteca, que também é um cheio muito bom!
Bom Setembro (e passa por cá, que o Refúgio cheira a maçãs e peras...)

Janita disse...

As minhas melhores recordações da infância também estão muito ligadas aos cheiros!
Principalmente as ervas aromáticas, como os orégãos, coentros e hortelã!:)

Um abraço e vivam as boas lembranças, Rosa!

Observador disse...

Recordar um passado, cheio de coisas boas, pode ser frustrante quando comparado ao presente que promete futuro.

Abraço

Anónimo disse...

NÃO há cheiro como o da infância...

Caríssima que tanto sentes como eu!
Abç B

Majo disse...

~
~ ~ Não vás Leo, preserva essa linda memória infantil de cores e cheiros.

~ ~ Também guardo recordações semelhantes. Lembro-me perfeitamente da primeira vez que fui à praia e do cheiro forte a maresia.

~ ~ Recordações que podem durar um século!

~ ~ ~ Amém!

~ ~ ~ Abraço. ~ ~ ~

Ricardo Santos disse...

September Song

Ricardo Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
luisa disse...

Vou tentar fazer concorrência ao Ricardo Santos. O pior é se isto do link não funciona... :)
C’est en Septembre

luisa disse...

Pois... parece que não funciona mesmo. :(

Vai assim, então: http://youtu.be/WQYwuzkzdrg

marina maia disse...

Também tenho cheiros que jamais esquecerei, e um deles é o do doce de tomate da minha mãe, só de me dizer ao telefone que esteve a fazer doce, já me cheira!!!!

marina maia disse...

Também tenho cheiros que jamais esquecerei, e um deles é o do doce de tomate da minha mãe, só de me dizer ao telefone que esteve a fazer doce, já me cheira!!!!

marina maia disse...

Também tenho cheiros que jamais esquecerei, e um deles é o do doce de tomate da minha mãe, só de me dizer ao telefone que esteve a fazer doce, já me cheira!!!!

Flor de Jasmim disse...

O Setembro da minha infância que não tive era a trabalhar nos pomares, nos campos e nas vindimas!

Recordações que nos marcam nem sempre pela positiva.

Beijinho e uma flor

Graça Sampaio disse...

Pois é - mudam-se os tempos... muda tudo! E, por vezes, dá cá uma tristeza!

Beijinhos

Rui Pascoal disse...

Isso faz-me lembrar uma canção do Rui Veloso - "As Regras da Sensatez"...
Cordiais saudações.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Eu deixei de jurar
quando o fazia
pressentia
que mentia

É que há livros com odor a frutado...


Pedro Coimbra disse...

Setembro e Outubro são os meses mais agradáveis por aqui.
A humidade e o calor baixam, o ar é mais respirável.

Rosa dos Ventos disse...

Esta não conhecia, Ricardo Santos!
Obrigada!

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

"C´est en septembre" foi a canção que coloquei no facebook no dia 1, cara Luísa!
De qualquer das maneiras agradeço a gentileza!

Abraço

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, saudades maravilhosas que permanecem, memorias que vão prevalecer para sempre.
AG
http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

AFRODITE disse...


Setembro é um mês dado a nostalgias...

Viajei contigo à minha infância feliz
(eu costumo dizer na brincadeira que ninguém teve uma infância mais feliz do que a minha... hehehe) e recordei a grande estante de madeira, dividida em tabuleiros de 4 andares, onde o meu pai colocava a fruta (e outras colheitas) em madureiro. Eram pêssegos, ameixas, pêras, maçãs, uvas...

Não jures minha querida... ninguém sabe o dia de amanhã.


Beijinhos sem promessas
(^^)

Dalma disse...

Lá diz a canção de Rui Veloso, "... não voltes ao lugar onde foste feliz"!
É isso, é sempre uma desilusão!

Mar Arável disse...

De Atalaia

em festa

Catarina disse...

Não me recordo dos cheiros de setembro. : ( o verdadeiro cheiro...

Rosa dos Ventos disse...

Eu sei que os meus primos irão fazer o seu melhor na requalificação do espaço...e que talvez esqueça a minha jura e volte lá quando tudo estiver em ordem...
Enquanto eu conseguir acordar na memória os aromas do celeiro...será o celeiro dos avós!

Abraço

O meu pensamento viaja disse...

Há quem diga que não devemos voltar nunca aos locais onde fomos muito felizes. Será?

Duarte disse...

Aromas e sabores que perduram no tempo, que permanecem vinculados a um passado que persiste em seguir vivo, e seguirá na nossa memoria.
Abraços de vida

lis disse...

Setembro é pra mim o mês mais charmoso do calendário_ tem flores porque pra nós é Primavera e as manhãs são lindas com o sol já raiando cedinho.
meu abraço Rosa

Tétisq disse...

às vezes é preferível viver com a memória das coisas do que com a realidade...

mlu disse...

Em Setembro também recordo aromas de que gosto muito! O melhor é o do mosto das uvas pisadas no lagar de um tio! Depois, o cheiro do arrobe que a minha mãe fazia com esse mosto e maçãs camoesas! Mesmo que o faça eu (é a minha compota preferida!), parece que o cheiro não é igual!
E também tenho cenários a que não me apetece voltar mas... "nunca" é uma palavra difícil!

Um abraço

Um abraço.

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Celeiro... até a palavra é pouco pronunciada...

belo post com cheiro ao que é bom :)

marina maia disse...

Tantos dias de ausência...espero que esteja tudo bem!
Beijinho e bom fim de semana!!!