segunda-feira, fevereiro 03, 2014

"Nesta rasa pobreza"


(pintura de Maluda)


Nesta rasa pobreza que ficou
De jardins floridos, de searas
Como espelhos do sol ao meio-dia,
Quem esperaria que nascessem nardos
E que as romãs abertas mostrariam
Corações lapidados e auroras?
Mas todo o tempo é tempo começado,
E a terra adivinhada, transparente,
Cobre a fonte serena e misteriosa
que torna a sede ardente.

José Saramago, in Provavelmente Alegria

Nota: Embora tenha referido que a imagem era da net agora explicito melhor a sua origem...
          Quando muito podem elogiar a escolha...:)

20 comentários:

Ricardo Santos disse...

Pois Saramago na sua vertente poética. Muito Bom !
A foto aparentemente trabalha é bastante bonita !

Rogerio G. V. Pereira disse...

Saramago pedia que não o considerassem poeta
Estes versos trai-lhe a razão
ou, pelo menos,
eu nego-lhe o pedido

ematejoca disse...

AMO o José Saramago como poeta.

Também amo comer romãs e, esta foto é linda.

Amanhã vou responder a todos os teus comentários, mas esta noite estou arrasada e triste com a morte de dois dos meus actores preferidos.

BOA NOITE!

Flor de Jasmim disse...

Saramago uma referencia sempre!
A foto é linda.

boa semana Rosa

beijinho e uma flor

Lilá(s) disse...

É por isso que gosto tanto de Saramago!
Bjs

mlu disse...

Não conheço o Saramago poeta mas vou à procura. Este poema entusiasmou-me!
Hmmm! Gosto tanto de romãs!


Um abraço.

Teté disse...

Não conhecia o poema de Saramago. Mas já tenho reparado que a sua poesia é mais fácil de ler que a sua prosa... :)

Abraço

São disse...

Gostei do poema saramaguense e de saber que Maluda não pintava só casas.

Bom serão

Rosa dos Ventos disse...

Embora goste bastante da obra da Maluda também fiquei espantada com estas belas romãs, São!


Abraço

luisa disse...

Gosto sempre de ler Saramago.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Olá Rosa!
Gosto do Saramago, da Maluda e de romãs, pelo que este post é uma combinação perfeita

Tétisq disse...

provavelmente... vida!

Pedro Coimbra disse...

Gosto do quadro.
Já do Saramago.....

Anónimo disse...

Olá, Rosa,
Que excelente escolha!
Nestes tempos de "rasa pobreza", sim o que nos alegra são os bons poetas, os bons escritores e a natureza que continuam a alimentar-nos com seus preciosos frutos, que confortam a nossa alma e nos dão vida!... UM

Rosa dos Ventos disse...

Nem este poema lhe abre uma brecha para gostar de Saramago, Pedro Coimbra?
Eu gosto muito da Maluda e de Saramago!
Todos diferentes...todos iguais! :)

Abraço

Lídia Borges disse...


E dizia Saramago que se arrependera de publicar a poesia! Ficaríamos mais pobres...

Um beijo

heretico disse...

nardos e corações lapidados são imprevisíveis - surgem quando menos se espera.

sabe-se lá quando explode uma flor silvestre ou um coração lapidado?


beijo

Maria disse...

Um Saramago menos conhecido mas como sempre muito bom!!!
Beijinhos
maria

Janita disse...

Acho muito bom que tenhas escolhido esta pintura da Maluda, retratando a romã que, por sua vez, representa fertilidade e fartura. Há, assim, um equilíbrio nesta 'Rasa Pobreza' de Saramago. Gosto mais de o ler em poesia do que em prosa. São gostos!

Um abraço, Rosa e bom fim de semnana.

Graça Sampaio disse...

Muito bem escolhido... «nesta rasa pobreza que ficou» mesmo!

Beijinho